Páginas

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Black Power Masculino; Resistência

ue a verdade seja dita, os cabelos crespos e cacheados são simplesmente maravilhosos, porém por muito tempo foram estigmatizados como feios, duros e ruins. Tudo isso fruto de uma sociedade racista com fortes resquícios do período escravocrata, que sempre tratou os negros, suas características e culturas como inferiores a cultura europeia.

Nos últimos anos podemos perceber que um número significativo de mulheres negras assumiram seus cabelos naturais, resistindo aos padrões da sociedade que tenta nos embranquecer a todo momento. Porém nesse mesmo cenário se olharmos para um outro lado, os homens negros estão a parte desse processo, são pouquíssimos que assumem e ostenta seus cabelos Black Power.




Gosto nada mais é do que construção social, nós, nossos gostos e vontades são moldados durante toda a vida através da mídia, assim como a beleza branca, os traços europeus sempre foram exaltados em detrimento da beleza negra que através dos seculos é rechaçada. Muitos homens fundamentam sua argumentação por não gostarem de deixar seus cabelos crescerem ou por se desvincularem ao máximo das suas características negras na questão do gosto, tal gosto derivado de padrões racistas, que nos embranquecem para que possamos ser aceitos.

A estigmatização do cabelo crespo é tamanha, que desde a infância as crianças, principalmente as meninas (devido imposições estéticas serem muito mais fortes as mulheres, resultado de uma cultura machista) tem sua autoestima minada, sendo que muitas delas podem vir a carregar esses traumas causados por preconceito e bullying pelo resto de suas vidas. É muito comum ver crianças negras com o cabelo todo o tempo preso ou raspado no caso dos meninos, entre os motivos está o mito reproduzido por muito tempo que cabelos crespos são mais suscetíveis a presença de piolhos e lêndeas.  Tudo isso faz com que muitos negros e negras passem a vida sem conhecer a textura, estrutura e a tipologia do próprio fio de cabelo. 


Outra barreira que nós negros encontramos para podermos assumir nossos fios, é a discriminação no mercado de trabalho, muitas empresas preterem candidatas e candidatos que usam seus cabelos ao natural, dizendo que não se encaixa no padrão da empresa, ou outras vezes pedem para que os seus funcionários negros andem sempre com os cabelos presos, raspado ou alisados. Esse cultura é tido por muitos como inofensiva, disfarçada através de discursos que dizem ser normas da empresa, mas a motivação é puramente racista.

Assumir os fios crespos vai além do fato de se aceitar, se amar, ser exatamente como você é. Assumir seus fios faz parte de amar sua ancestralidade, resgatar suas raízes. É resistência. É mais que estética, é um ato político. É usar sua imagem para quebrar padrões e afrontar uma sociedade racista.














Resitam, Pretas e Pretos.